As imagens chocantes que foram impressas nos maços de cigarros para dissuadir o consumo de tabaco tiveram pouco impacto entre os jovens fumadores. Estas imagens foram colocadas na parte de trás da embalagem, mas não tiveram grande impacto junto dos mais novos, concluiu um estudo.

Numa altura em que cerca de 60 países já impõem às tabaqueiras que incluam campanhas antitabágicas nos maços, os investigadores estudaram o impacto destas mensagens em pouco mais de um milhar de jovens britânicos entre os 11 e os 16 anos.

Dos jovens interrogados em 2008 e depois em 2011, entre dois terços a três quartos nunca tinham fumado, sendo que os restantes declararam ser entre fumadores ocasionais e fumadores regulares, informa a Lusa.

Convidados a descrever as fotografias, menos de 10% se lembrava das que estavam colocadas na parte de trás da embalagem, à exceção dos que tinham sintomas de um consumo mais assíduo de tabaco, apresentando dentes cariados, problemas nos pulmões ou cancro na garganta.

Quando questionados sobre os anúncios colocados na frente, perto de metade dos jovens lembravam-se da frase «fumar mata». Em 2011 eram 47% em 2008 cerca de 58%.

Em relação à mensagem «fumar prejudica gravemente a sua saúde e a dos que o rodeiam», em 2008, pouco mais de 41% dos jovens se lembrou deste aviso, ao passo que, em 2011, essa proporção caiu para os 25%.