As autoridades belgas detiveram mais cinco pessoas durante rusgas realizadas esta madrugada nas regiões de Bruxelas e Liège. A informação foi divulgada pela procuradoria federal da Bélgica esta segunda-feira. Desta forma, sobe para 21 o número de detidos em operações policiais realizadas desde domingo, com o objetivo de neutralizar suspeitos de terrorismo, na sequência dos ataques em Paris.

A procuradoria belga esclareceu que foram realizadas cinco rusgas na área de Bruxelas e duas em Liège, esta madrugada.

No domingo, a polícia deteve 16 pessoas em rusgas realizadas nas zonas de Bruxelas e Charleroi. A procuradoria federal disse que entre esses detidos não está Salah Abdeslam, um dos terroristas que participou nos ataques em Paris e que permanece a monte.

As autoridades apreenderam vários objetos, que estão a ser analisados pelos peritos, incluindo a avultada quantia de 26.000 euros em dinheiro. 

Ainda segundo a procuradoria, o carro BMW que, no domingo, não parou numa operação de rotina não está relacionado com os ataques de Paris. O jornal Le Libre tinha avançado que Salah Abdeslam tinha sido intercetado pela polícia, na região de Liège, mas tinha conseguido fugir num BMW.

A Bélgica arrancou a semana em alerta máximo. Isto depois de no domingo, as autoridades terem considerado que subsiste uma “ameaça séria e iminente” de atentados. Assim, esta segunda-feira, escolas e universidades não abriram portas e o metro também não se encontra a funcionar. As instituições europeias estão a funcionar a “meio gás" e rodeadas de altas medidas de segurança. Uma segurança que é bem visível nas, fortemente vigiadas por polícias e militares.