A Human Rights Watch (HRW) pede a libertação imediata e incondicional de duas jovens indonésias detidas por alegadamente serem lésbicas no final de setembro, de acordo com a 'sharia' (lei islâmica) em vigor na província de Aceh, na ilha de Sumatra.

O diretor do programa LGBT [lésbica, ‘gay’ (homossexual), bissexual, transgénero] da Human Rights Watch, Graeme Reid, considerou em comunicado um “abuso intolerável do poder policial" a detenção e instou o governo central a pressionar para a revogação das leis discriminatórias em Aceh.

As duas jovens, de 18 e 19 anos, foram detidas a 28 de setembro quando estavam a caminhar abraçadas num parque público de Banda Aceh, a capital provincial, e continuam presas desde então.