Os suíços devem aprovar, neste domingo, em referendo o aumento da capacidade dos serviços secretos e de vigilância do país para controlar a vida privada dos cidadãos com o objetivo de reforçar a luta contra o terrorismo, segundo várias sondagens.

De acordo com a pesquisa do jornal Le Temps, a iniciativa deverá ter o apoio de 66% dos eleitores.

Os helvéticos pretendem, assim, permitir que as autoridades monitorizem as comunicações (contactos telefónicos e por correio eletrónico) e a colocar câmaras ou microfones, entre outras coisas, em suspeitos, sempre com a autorização prévia das autoridades judiciais e executivas do país.

A lei, que foi aprovada no ano passado, mas sujeita a referendo, permitirá que uma pessoa que regressou de um lugar associado ao radicalismo islâmico seja vigiada.