Um jornalista sueco, correspondente no Sul da Ásia da Rádio Sveriges, foi esta terça-feira morto a tiro no Afeganistão, à porta de um restaurante que foi atacado em janeiro pelos talibã e onde morreram, na altura, 21 pessoas. A informação já foi confirmada pela administração da própria rádio.

«É um dos piores dias da Rádio Sveriges», admitiu a administradora da estação, Cilla Benkö.

O jornalista Nils Horner tinha 51 anos e era «um dos melhores e mais experientes correspondentes» daquela rádio sueca, de acordo com a própria estação.