A justiça sudanesa anulou a união de uma menina que se casou aos cinco anos com um homem de 43 anos, anunciou hoje a associação de defesa dos direitos das mulheres e das crianças do Sudão Sima.

A criança, Ashjan Youssef, que tem atualmente oito anos, estava casada há três anos com um pai de família.

Um tribunal de Omdurman, uma cidade gémea de Cartum, anulou o casamento na quinta-feira, invocando «a lei sobre o estatuto pessoal que proíbe o casamento das raparigas antes dos 10 anos», afirmou Nahed Jabrallah, diretora da associação Sima, que levou o caso à justiça.

No dia do casamento, «Ashjan Youssef tinha apenas cinco anos e o seu esposo, já casado e pai de quatro crianças, tinha 43 anos», sublinhou a militante.

Segundo a mesma responsável, as duas famílias concordaram em celebrar a união quando Ashjan fizesse 15 anos, mas o noivo acabou então por exigir uma antecipação das núpcias.

Um tio da menina contactou então a associação, que apresentou o caso ao tribunal.

O Sudão é regularmente criticado por organizações de defesa dos direitos humanos devido à legislação que permite os casamentos infantis.