O homem que, na quarta-feira, matou um professor na Universidade da Califórnia (UCLA), em Los Angeles, Estados Unidos, e se suicidou foi identificado como sendo Mainak Sarkar, de 38 anos, um ex-aluno do docente, informou nesta quinta-feira a polícia.

Segundo as autoridades, Sarkar publicava desde há meses mensagens em redes sociais contra o antigo professor, a quem acusava de lhe ter roubado um código informático que terá fornecido a outra pessoa.

Em 10 de março, Sarkar disse que o professor era “uma pessoa muito doente” e em quem não se podia confiar.

A polícia anunciou ainda ter encontrado na casa do homicida uma “lista de pessoas a matar”, que incluía uma mulher encontrada morta no estado do Minnesota.

Nessa lista figuravam o nome do professor e também o de uma mulher encontrada morta no Minnesota (norte), indicou Jane Kim, porta-voz da polícia de Los Angeles (LAPD).