Bo Xilai foi condenado a prisão perpetua, anunciou hoje o Tribunal de Jinan, no leste da China.

O antigo líder comunista chinês aceitou subornos no valor de 2,46 milhões de euros, segundo o veredito anunciado pelo tribunal de Jinan, leste da China.

Trata-se de um montante inferior ao que foi inicialmente imputado ao réu e que envolvia ainda 1,34 milhões de yuan (161,8 mil euros) em bilhetes de avião alegadamente pagos por um empresário chinês à mulher e ao filho de Bo Xilai, Gu Kailai e Bo Guagua, respetivamente.

«Não havia provas suficientes para apoiar aquela acusação», disse a agência noticiosa oficial chinesa.

Condenação de Bo Xilai reforça companha contra a corrupção na China

Um tribunal chinês condenou a prisão perpétua um dos mais populares políticos do país, evidenciando o prometido empenho da nova liderança chinesa em combater a corrupção e tentar eliminar uma grande fonte de descontentamento popular.

Antigo membro do Politburo do Partido Comunista e ex-1º secretário da organização em Chongqing, o maior município da China, Bo Xilai foi o mais alto líder chinês condenado por corrupção desde que o atual presidente, Xi Jinping, assumiu o cargo de secretário-geral, em novembro passado.