O Facebook divulgou um comunicado condenando o homicídio, em Cleveland, estado norte-americano do Ohio, transmitido no domingo na rede social, classificando-o com um “crime horrendo”. 

Inicialmente, pensava-se que o crime tinha sido transmitido em direto, mas entretanto o Facebook esclareceu que o suspeito esteve em direito na rede social nesse dia, mas não durante o homicídio.

A polícia norte-americana tinho dito que Steve Stephens matou a tiro Robert Goodwin Sr., de 74 anos, no domingo à tarde, enquanto filmava e transmitia o ato em direto no Facebook.

Reuters

No vídeo, que esteve disponível no Facebook durante três horas, Stephens afirma que matou mais de uma dúzia de pessoas. A polícia, que está agora no seu encalço, disse não ter confirmado essa informação.

As autoridades continuam em busca de Stephens, que acreditam estar armado e dizem ser perigoso.

A família de Goodwin mostrou-se destroçada com a sua morte. Aos jornalistas, a filha disse sentir que "o coração vai parar". No Twitter, aquela que se acredita ser a neta deste homem que foi assassinado, pergunta porquê.

O Facebook sublinha o seu compromisso em “manter um ambiente seguro" na rede social.