Os EUA reivindicaram esta sexta-feiraa morte do chefe dos Shebab somalis, uma organização integrante da rede da Al-Qaida, através de um ataque aéreo na Somália, o que o Presidente deste país africano já agradeceu.

O Pentágono confirmou que Ahmed Abdi Godane morreu na operação realizada na segunda-feira, na qual foram disparados mísseis Hellfire, por aviões tripulados e não tripulados (drones), e bombas guiadas por laser para uma reunião de comandantes dos Shebab.

«'O governo somali agradece ao governo [norte-]americano e aos membros das forças de segurança somalis que participaram na operação», declarou em comunicado o Presidente somali, Hassan Sheikh Mohamud, que adiantou que nenhum dos visados sobreviveu.