Os EUA tencionam atacar por via aérea as posições do Estado Islâmico na Síria e admitem enviar conselheiros militares para ajudar no terreno os soldados iraquianos, disseram, esta terça-feira, dirigentes norte-americanos.

A Casa Branca esforçou-se para reduzir o impacto da alusão à possibilidade de militares norte-americanos irem para o terreno iraquiano, depois de o principal chefe militar dos EUA, o general Martin Dempsey, ter dito que aqueles poderiam «dar conselhos em situação próxima de combate» aos soldados iraquianos.

Como presidente do Conselho Conjunto dos Chefes de Estado-Maior, Dempsey é o principal conselheiro militar do Presidente Barack Obama, mas a Casa Branca insistiu que o envolvimento de militares dos EUA em combates era «um cenário meramente hipotético».