A população com riscos na saúde devido ao uso do cigarro eletrónico está a crescer e por isso a Califórnia quer proibir o seu uso nos espaços públicos e construir uma repressão para proibir a venda a menores num projeto de lei introduzido na passada segunda-feira.
 
Também conhecido como cigarro de vapor ou e-cigarro é um aparelho composto por uma pequena bateria, um atomizador e um recipiente onde está um líquido que pode conter ou não a nicotina e qualquer tipo de aroma e ao invés do fumo deita vapor de água.
 
«O que leva as pessoas a fumar cigarros eletrónicos ou cigarros normais é a dependência à nicotina e isso provoca a morte», afirma o Senador Estadual Democrático, Mark Leno, que propôs a lei. O mesmo disse em entrevista ao telefone : «Nós vamos ver centenas de milhares de indivíduos de algumas famílias e amigos a morrer por causa do cigarro eletrónico que se usa da mesma forma que o cigarro tradicional.»
 
Em comum com o cigarro tradicional, tem o «princípio ativo» ou seja a nicotina que é libertada quando o líquido aquece e tem o mesmo problema que o anterior, causa milhares de mortes todos os anos.
 
As emissões do cigarro-eletrónico contêm produtos químicos que causam cancro e põem em risco todos aqueles que estão próximos dos utilizadores dos mesmos, afirma o vice-presidente da política pública e advogado da «American Lung Association» na Califórnia.
 
A lei acrescenta o e-cigarro à lista de produtos de tabaco regulada pelo Estado, que já proíbe o fumo em locais de trabalho, restaurantes, bares e outros espaços. É também a rampa para penalizar a venda deste tipo de cigarros com sabores como pastilha e chocolate a menores de idade.
 
No mesmo dia a lei foi criticada por uma organização sem fins lucrativos «American Vaping Association» que defende as pequenas e médias empresas de cigarros eletrónicos. A mesma afirma que a lei irá prejudicar os fumadores que estão a tentar deixar de fumar com a ajuda dos cigarros eletrónicos e que foram comercializados como uma alternativa mais segura por não prejudicar os pulmões com o fumo.
 
«Os fumadores da Califórnia merecem uma informação verdadeira sobre as alternativas livre de fumos, não uma campanha publicitária ou uma conjuntura projetada para assusta-los de deixar de fumar com os produtos desta tecnologia inovadora», disse o presidente da «American Vaping Association», Gregory Conley num comunicado de imprensa.
 
O Senador Mark Leno, apoiado pela Sociedade do Cancro Americana, Associação Americana do Coração e pela «American Lung Association», reafirma que o vapor deitado pelos e-cigarros é cancerígeno e a nicotina contida é viciante.
 
A Califórnia será o quarto estado dos Estados Unidos a igualar o cigarro de vapor com os cigarros regulares e o vigésimo terceiro a regulamenta-lo de alguma forma. O estado é o mais populoso dos Estados Unidos com 122 cidades e municípios a banir o uso do e-cigarro em certos espaços públicos.