Valeriy Sushkevich, chefe do comité ucraniano, pediu ao presidente russo, Vladimir Putin, que assegure a paz durante os jogos paralímpicos de inverno em Sochi.

Segundo avançou a Reuters esta sexta-feira, Sushkevich, garantiu que a sua equipa de atletas não vai sair dos jogos devido à crise com a Crimeia, desde que a paz esteja garantida.

«Eu repeti o meu único pedido, o mais importante. Pedi que antes e durante (os jogos) haja paz», disse Valeriy recordando a reunião que teve com Putin.

No entanto, o chefe olímpico ucraniano garantiu que os atletas sairão da competição imediatamente, caso a Ucrânia seja invadida por tropas russas.

«Tenho muita pena que apesar dos apelos mundiais, e os meus, o irreversível acontecerá durante os Paralímpicos. Eu garanto: Sairemos da 11ª edição dos Jogos Paralímpicos na Rússia no segundo em que aquilo que tememos aconteça», disse Varleriy referindo-se a uma possível invasão da Ucrânia.



As declarações de Valeriy chegam na mesma manhã em que se sabe que o presidente ucraniano deposto, Viktor Ianokovich, terá sido internado depois de um enfarte, e que os presidentes dos EUA e Rússia, Barack Obama e Vladimir Putin, respetivamente, voltaram a falar ao telefone.

O Presidente russo disse ao seu homólogo norte-americano que os Estados Unidos não devem sacrificar as relações bilaterais «por discrepâncias sobre determinados problemas internacionais, por muito significativos que sejam», revelou o Kremlin.