A China denunciou esta quinta-feira “uma violação” da sua soberania territorial após o sobrevoo do país por um ‘drone’ indiano, que se despenhou.

Recentemente, um ‘drone’ [avião não tripulado] invadiu o espaço aéreo chinês e despenhou-se. Esse ato constitui uma violação da soberania territorial da China. Expressamos o nosso forte descontentamento e a nossa oposição”, de acordo com um comunicado do exército, citado pela agência de notícias chinesa Xinhua, sem detalhar quando e onde ocorreu o incidente.

A Índia não respondeu à acusação.

Os dois países têm uma longa história de tensões nas fronteiras. A mais recente data de meados de junho, quando Pequim acusou as tropas indianas de entrarem ilegalmente em território chinês para travarem as obras de uma estrada na área fronteiriça de Doklam (ou Donglang), disputada entre o gigante asiático e o país vizinho, o Butão, que pediu ajuda à Índia, um aliado tradicional.

Esta disputa trouxe à China e à Índia memórias da guerra fronteiriça em que se envolveram em 1962, depois da qual ambos os países continuam a reivindicar territórios na zona dos Himalaias.

A crise diplomática teve um efeito muito negativo nas relações entre os dois países, o que levou a China a acusar a Índia de “brincar com fogo", o que poderia levar a uma escalada do conflito.