Notícia atualizada às 10:24

Os embaixadores de Portugal e da França em La Paz vão ser convocados pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros da Bolívia para consulta, na sequência do incidente com o avião de Morales, indicou o organismo, citado pela Efe.

O embaixador em La Paz é o diplomata acreditado em Lima, capital do Peru, segundo o portal do Governo, pelo que para o encontro deverá ser convocada Helena Margarida Rezende de Almeida Coutinho, em vez do cônsul-geral de Portugal em La Paz, George Rezvani Albuquerque.

Portugal e França rejeitaram inicialmente conceder autorização para a aterragem ou sobrevoo do avião do Presidente boliviano, Evo Morales, acabando por dar 'luz verde', esta madrugada.

Unasur reúne-se de emergência

O Governo boliviano reuniu-se entretanto de urgência e considera igualmente necessária uma reunião urgente da União de Nações do Sul (Unasur), depois de Portugal negar a aterragem do Presidente Evo Morales por suspeitar que Edward Snowden se encontrava a bordo.

«Tal como as coisas se encontram, o Presidente não tem maneira de regressar, mas esperamos encontrar uma rota alternativa até amanhã [hoje]. Mas até ao momento, o Presidente está retido em Viena», disse à agência noticiosa Efe a ministra boliviana da Comunicação, Amanda Dávila.

A ministra afirmou que «é necessária» uma reunião da Unasur para abordar esta «grave ofensa». Também o ministro dos Negócios Estrangeiros, David Choquehuanca, declarou que quer explicações de Portugal.

O ministro disse que antes da aterragem prevista para Lisboa, as autoridades comunicaram ao avião de Morales que a autorização era anulada.

Foi preparado um plano de voo alternativo para que o avião fosse para Espanha e foi autorizado o seu reabastecimento nas Canárias, mas pouco depois foi recebida uma notificação de França proibindo o aparelho de sobrevoar o seu território, explicou.

«Disseram que era por questões técnicas, mas depois de algumas comunicações com algumas autoridades, informaram-nos que havia suspeitas infundadas de que o senhor Snowden [ex-consultor da CIA acusado de espionagem pelos EUA] estaria a bordo», indicou.

«Não sabemos de onde veio essa informação mal intencionada, essa enorme mentira. Estamos a averiguar. Portugal e a França têm de nos dar explicações», acrescentou o ministro.

Morales em Viena, sem Snowden

O avião de Morales seguiu entretanto para Viena, onde já foi inspecionado, confirmou o porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros austríaco.

O Presidente da Bolívia, Evo Morales, chegou terça-feira à noite ao aeroporto de Viena, proveniente de Moscovo, «mas sem Edward Snowden», indicou à agência France Presse um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros austríaco.



«O Presidente Morales vai partir hoje de manhã para La Paz», disse Alexander Schallenberg, acrescentando que as autoridades austríacas ignoram o motivo que levou o avião de Morales a aterrar em Viena.

As autoridades austríacas garantem que já inspecionaram o aparelho e que todos os passageiros a bordo são cidadãos da Bolívia.