O Gabinete do Reino Unido reúne-se esta quinta-feira de emergência para analisar o caso do casal encontrado em estado crítico, depois de exposto ao mesmo agente que envenenou em março um ex-espião russo e sua filha.

A reunião [conselho de ministros britânico] será presidida pelo ministro do Interior, Sajid Javid.

Um porta-voz da primeira-ministra, Theresa May, disse que o evento está sendo tratado com "extrema seriedade".

O casal britânico foi encontrado em estado crítico a 15 quilómetros da cidade onde Sergei e Yulia Skripal foram envenenados com o agente enervante, o Novichok, anunciou na quarta-feira à noite a polícia.

“Recebemos esta noite [quarta-feira] os resultados a análise (…) que mostram que as duas pessoas foram expostas ao agente enervante Novichok”, declarou à comunicação social o chefe do contraterrorismo britânico, Neil Basu.

Neil Basu adiantou que não estava determinado se estas pessoas tinham sido atacadas de propósito ou se a situação resultava de algum acidente.

Este casal é natural de Amesbury, que fica a 13 quilómetros de Salisbury, onde os Skripal foram envenenados.

A polícia não os identificou, mas amigos disseram que se trata de Charlie Rowley, de 45 anos, e Dawn Sturgess, de 44.

As autoridades tinham declarado a existência de um “incidente relevante”, depois de um homem e uma mulher terem sido encontrados inconscientes no sábado, num edifício residencial em Amesbury.

A polícia realçou, em conferência de imprensa, que os responsáveis da área da saúde entendiam que não havia riscos significativos para a saúde pública.

O casal foi hospitalizado no sábado no hospital de Salisbury, com as autoridades a atribuírem inicialmente a situação à ingestão de uma mistura contaminada de heroína ou ‘crack’ de cocaína.

Governo britânico pede informações a Moscovo 

O ministro para a Segurança britânico, Ben Wallace, pediu hoje a Moscovo que forneça informações no sentido do esclarecimento sobre o novo caso de duas pessoas afetadas pelo gás nervoso Novichok, de fabrico, russo.

“O Estado russo pode esclarecer isto. Pode dizer-nos o que aconteceu. O que fizeram”, disse Wallace à estação pública BBC a propósito do caso que afetou no sábado dois britânicos na localidade de Amesbury, condado de Wiltshire, sul de Inglaterra.

Estou à espera de uma chamada telefónica do Estado russo. São eles (autoridades russas) que podem ajudar a unir todas as pistas para que as pessoas possam manter-se em segurança”, acrescentou Wallace.

De acordo com as autoridades de Londres, a substância que envenenou os dois britânicos identificados como Charlie Rowley e Daw Sturgess, de 44 e 45 anos respetivamente, é a mesma que intoxicou o ex-espião russo Sergei Skripal e a filha Julia Skripal no passado mês de março.