Dois meses e meio após o ex-espião russo Sergei Skripal e a filha terem sido envenenados por um agente nervoso, Yulia falou sobre o ataque, através de uma carta redigida e enviada à Reuters.

A filha do espião enviou e gravou a declaração numa localização secreta em Londres, salientando que quer ela quer o pai têm "muita sorte em estar vivos".

Temos tanta sorte por termos ambos sobrevivido a uma tentativa de assassinato. A nossa recuperação tem sido lenta e extremamente dolorosa.”

 

O ataque foi a 4 de março, em Salisbury, e Yulia só saiu do coma 20 dias depois, enquanto o pai só teve alta a 18 de maio.

Yulia diz que tem "a vida virada do avesso", mas que quer no futuro voltar à Rússia, mesmo depois do ataque inesperado.

Vou-me ajustando às mudanças devastadoras que este evento trouxe aos dois em termos físicos e emocionais, vivo um dia de cada vez e quero ajudar o meu pai a chegar a uma recuperação total. A longo prazo espero regressar ao meu país."

A filha do ex-espião não esconde o choque pelo ataque: "Acordei com a notícia de que tínhamos sido os dois envenenados. O facto de ter sido usado um agente nervoso chocou-me." 

Este ataque desencadeou uma crise diplomática entre a Rússia e dezenas de países, com embaixadores russos a serem expulsos.