Em Itália, um sismo de magnitude 4,6 na escala de Richter causou danos ligeiros em edifícios no centro do país e obrigou ao encerramento de escolas e linhas de caminho de ferro, como medidas de precaução.

O Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia italiano baixou uma décima a magnitude do terramoto que foi comunicada inicialmente (4,7) informando que o tremor de terra ocorreu às 05:11 (03:11 de Lisboa) com epicentro a dois quilómetros de Muccia, província de Macerara, região de Marcas (centro), a uma profundidade de 9 quilómetros.

O sismo também foi sentido nas localidades vizinhas de Pieve Torina e Pievbovigliana e nas regiões centrais de Las Marcas e Umbría.

Mandámos encerrar as escolas. É preciso verificar os danos antes de deixarmos entrar as crianças”, disse aos jornalistas o presidente da Câmara de Pieve Torina, Alessandro Gentilucci.

No município de Muccia caiu o “pequeno campanário” da igreja de Santa Maria di Verano, edificada no século XVII, informou o autarca Mario Baroni acrescentando que estão a ser levadas a cabo operações de verificação para assegurar se a estrutura se mantém segura.

Gianluca Pasqui, presidente da Câmara de Camerino (Las Marcas), pequena localidade fortemente atingida pelo sismo de agosto de 2016, proibiu o acesso à zona anteriormente afetada explicando que as equipas estão a verificar se há danos nas estruturas das edificações.

Entretanto, o Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia registou mais de 20 réplicas.

Como medida de precaução, a companhia ferroviária estatal Trenitalia suspendeu as ligações na zona central de Itália.