O número de mortos na sequência do forte sismo de magnitude 7,8 na escala de Richter que sacudiu este sábado o Nepal já ultrapassou os 2.000, informaram fontes oficiais do Nepal e de países vizinhos.

Este domingo, foi sentida uma violenta réplica de magnitude 6,7 na escala de Richter, entre outras. As fortes réplicas continuam a provocar avalanches na região do Monte Everest e a deixar a população em pânico.

De acordo com as autoridades, o número de vítimas mortais no Nepal subiu para 2.152, enquanto fontes oficiais da Índia, que também foi afetada pelo terramoto, reviram em alta o balanço de 34 para 53 mortos. Na China morreram 17 pessoas e uma pessoa morreu no Bangladesh.

Estimativas divulgadas este domingo pela ONU indicam que o sismo afetou cerca de 6,6 milhões de pessoas em 30 distritos do Nepal.

As manifestações de solidariedade para com o Nepal têm-se multiplicado, com inúmeros governos e organizações internacionais a oferecerem ajuda.

Índia e China anunciaram o envio de equipas para Katmandu, à semelhança de outros países e territórios da região, como Japão, Sri Lanka, Paquistão, Singapura ou Taiwan.

Os Estados Unidos anunciaram ainda no sábado, dia da catástrofe, o envio de uma equipa de especialistas, à semelhança da União Europeia, tendo Washington prometido de igual modo um milhão de dólares em ajuda para responder às primeiras necessidades pós-sismo.

Em comunicado, a União Europeia indicou estarem a caminho de Katmandu especialistas humanitários para as zonas mais afetadas.
 

"A dimensão total das mortes e danos ainda é desconhecida, mas informações indicam ser elevada, tanto em termos de perdas humanas e feridos como ao nível do património cultural".


Alemanha, Reino Unido e Espanha também prometeram assistência, com a Noruega a anunciar que vai facultar 30 milhões de coroas (3,5 milhões de euros) em ajuda humanitária.

Este domingo, Austrália e Nova Zelândia também anunciaram o envio de apoio ao Nepal, devastado por aquela que é pior tragédia da sua história recente, enquanto procuram localizar centenas de cidadãos nacionais referenciados como estando no país.

Camberra comprometeu-se com uma ajuda de 5 milhões de dólares australianos (3,6 milhões de euros), enquanto a Nova Zelândia vai canalizar 1 milhão de dólares neozelandeses (700 mil euros).

Este desastre natural já considerado o pior do Nepal nos últimos 80 anos.