As equipas de resgate tiraram hoje um adolescente vivo de entre uma pilha de escombros de uma pensão no Nepal que colapsou devido ao sismo que atingiu o país no sábado, informou a polícia.

"Um rapaz de 15 anos foi resgatado de uma pilha de escombros de uma pensão chamada Hilton Guesthouse", disse o porta-voz da polícia Kamal Singh Bam.


O jovem, que alguns jornais internacionais, citando também fontes da polícia, referem ter 18 anos, sobreviveu durante cinco dias entre os escombros. Depois de ser resgatado, os operacionais que o resgataram, nomeadamente, o homem que retirou o jovem do entulho foi aclamado como herói. 




De acordo com a CNN, uma equipa de resgate nepalesa, com a ajuda de especialistas da Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional, trabalhou durante cinco horas para tentar libertar o jovem, depois de ouvirem a voz dele debaixo dos escombros. Pessoas que assistiam à operação aplaudiram quando ele foi resgatado.

O adolescente, que foi identificado pela polícia como Pemba Tamang, foi retirado do local de maca, com o rosto coberto de pó, e levado para um hospital. Os médicos colocaram-lhe um dispositivo intravenoso no braço e um protetor no pescoço. Pemba Tamang parecia atordoado e os olhos dele piscaram de forma repetida quando viram a luz do sol.

O inspetor da polícia, Lakshman Basnet, que primeiro falou com o jovem, quando ele ainda estava sob os escombros, refere que Pemba Tamang estava vigilante mesmo depois de cinco dias soterrado.

"Ele agradeceu-me quando me aproximei. Disse-me o nome e o endereço e eu dei-lhe um pouco de água. Assegurei-lhe que estávamos perto”, contou o polícia.


O inspetor da polícia revelou que o adolescente sobreviveu graças a uma mota que o protegeu da pressão do betão e do aço: “Ele sobreviveu por boa-fé."

Dennis Bautista, elemento da equipa de resgate, que desceu até ao sítio onde Pemba Tamang estava soterrado, para lhe prestar ajuda médica, descreveu o resgate como “incrível”.
 

"É bom ser capaz de ajudar. Eu não posso imaginar o que ele passou. Ele é um jovem corajoso”, afirmou.

 
Lakshman Basnet acrescentou que, quando chegou perto de Pemba Tamang, tentou tranquilizá-lo e assegurar-lhe que ia ficar bem.
 

“Dei-lhe água e conversei com ele regularmente até conseguirmos resgatá-lo", disse Basnet.

 

 Número oficial de mortos continua a subir


O número de mortos no Nepal, devido ao sismo que atingiu o país no sábado, subiu para 5.489, de acordo com dados oficiais. Número de feridos ascende a 11 mil.

O Centro Nacional de Operações de Emergência indica ainda que o sismo de magnitude 7,8 causou mais de 100 mortos na Índia e China.

A visita do primeiro-ministro nepalês, Sushil Koirala, às zonas mais afetadas pelo sismo em Katmandu desencadeou várias manifestações de indignação e raiva por parte da população, que critica a resposta do Governo à tragédia.

Os residentes de Basantapur, uma das áreas mais afetadas pelo sismo, manifestaram a sua ira contra Koirala enquanto este avaliava os danos junto do chefe do exército, Gaurav S.J.B. Rana, escreve hoje o jornal Kantipur.

Um grupo de sobreviventes rodeou o primeiro-ministro, pedindo-lhe apoio material e compensações de modo a poder refazer a sua vida.
 

Nações Unidas fazem apelo


As Nações Unidas lançaram, entretanto, um apelo urgente para que sejam feitas doações para os milhões de sobreviventes do sismo no Nepal, que enfrenta, agora um cenário de falta de alimentos, medicamentos e água potável.

Cinco dias depois do sismo as dificuldades logísticas atrasam a distribuição da ajuda humanitária aos sobreviventes, desesperados e ameaçados pela fome e pela sede.

Tendo em conta a dimensão do desastre, a ONU lançou um apelo para a angariação de fundos no valor de 415 milhões de dólares (373 milhões euros) para dar resposta a emergências, considerando que 70.000 casas ficaram destruídas e 530.000 danificadas em 39 dos 75 distritos do país.

Um segundo avião humanitário francês, com 20 toneladas de carga e uma centena de profissionais de emergência a bordo, aterrou hoje em Katmandu para prestar assitência às vítimas.

Segundo a AFP, o aparelho militar A340 estava imobilizado desde terça-feira em Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, por falta de autorização para aterrar em Katmandu.

O primeiro avião francês que transportava ajuda chegou na quarta-feira à capital nepalesa com 55 profissionais de saúde e humanitários e 25 toneladas de material.
 

Evereste pode voltar a ser escalado a partir da próxima semana


O Monte Evereste vai poder voltar a ser escalado na próxima semana apesar da avalanche causada pelo sismo no Nepal ter causado 18 mortes no pico mais alto do mundo, anunciou já hoje o Governo nepalês.

"As escadas vão ser reparadas nos próximos dois ou três dias e as escaladas vão continuar, não há motivos para que se abandonem as expedições", disse à AFP o chefe do departamento de turismo Tulsi Gautam.