Um forte sismo provocou pelo menos três mortos, incluindo um bebé de dez meses e a queda de quatro edifícios em Taiwan, esta sexta-feira, já madrugada de sábado na região (4:00). O abalo de magnitude 6,4 na escala de Richter sacudiu o sul de Taiwan, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), provocando muitos danos materiais. 

O sismo foi registado às 20:00 de Lisboa, a 43 quilómetros de Tainan, uma cidade com cerca de dois milhões de habitantes, que é a mais afetada. 

Quatro edifícios colapsaram e um deles é um complexo residencial, com 17 andares, onde centenas de pessoas estarão soterradas e de onde já foram resgatadas 123 pessoas.

Pelo menos três pessoas morreram, incluindo um bebé de 10 meses, segundo uma fonte dos bombeiros citada pela AFP. 

“Estas três pessoas não mostravam qualquer sinal de vida antes de serem transportadas para o hospital”, disse Lin Kuan-cheng, porta-voz do Serviço Nacional de Bombeiros.

Uma residente afirmou em direto na televisão local que vivem 221 pessoas no prédio.

As autoridades locais acionaram o nível de emergência e ainda estão a decorrer operações de resgate. 

"Quatro edifícios colapsaram na área da cidade de Tainan. Estão em curso operações de busca e salvamento e não há notícias de vítimas", disse o porta-voz da Agência Nacional de Bombeiros, Lin Kuan-cheng, à agência noticiosa AFP. 

As imagens partilhadas nas redes sociais mostram um cenário de destruição.

 

 

 

Algumas condutas de água rebentaram, provocando inundações.

 

De acordo com a USGS, o terramoto foi muito superficial, com uma profundidade de apenas 10 quilómetros, o que amplificou o abalo e, consequentemente, os efeitos.

O Centro de Alerta de Tsunamis no Pacífico fez saber que não se espera a formação de um tsunami.

Taiwan está próxima de duas placas tectónicas e é atingida com regularidade por abalos sísmicos. 

Em junho de 2013, um abalo com magnitude 6,3 atingiu o centro da ilha e provocou quatro mortes e deslizes de terra generalizados. Em setembro de 1999 um abalo de magnitude 7,6 provocou cerca de 2.400 mortos.