Um jovem casal decidiu manter os planos do casamento em Acquasanta Terme, Marche, uma das zonas mais afetadas pelo sismo que na quarta-feira tirou a vida a centenas de pessoas e destruiu, quase por completo, várias vilas no centro de Itália.

Ramon e Martina Adazzi souberam que parte da igreja tinha ruído quatro dias antes da cerimónia. O casal ficou desolado quando um familiar lhes disse que o altar da igreja estava coberto pelos destroços de uma parede e de um teto que ruíram. 

A primeira vez foi chocante. Nós organizámos isto durante mais de um ano”, contou a noiva à CNN.

Os noivos perceberam de imediato que a igreja não tinha condições para acolher a cerimónia e decidiram dar o nó numa praça da cidade, com o cenário a dividir-se entre o verde das montanhas e as ruínas.

Quando o padre disse que a igreja não tinha condições de segurança, disse à minha mulher: 'Quero celebrar o casamento lá, porque eles agora precisam de um momento para pensar noutras coisas'”, contou o noivo.

“Claro que estava com medo e muito nervosa. E não queria criar mais problemas à cidade”, disse a noiva. “Mas todos foram simpáticos e hospitaleiros.”

A cerca de 20 km a sudoeste de Acquasanta Terme, localiza-se Amatrice, o centro da destruição provocada pelo terramoto. 

Depois de quatro dias desde o primeiro abalo, as equipas de busca e salvamento continuam a encontrar corpos nos escombros.