O primeiro-ministro italiano Matteo Renzi vai deslocar-se ainda durante esta tarde às zonas afetadas pelo forte sismo que sacudiu Itália nesta madrugada. Numa comunicação ao país, o chefe do Executivo afirmou que se vai encontrar com responsáveis da proteção civil e ainda com o ministro das Infraestruturas.

"Vou visitar a área afetada esta tarde e vou encontrar-me com as autoridades competentes, nomeadamente com o comandante da proteção civil e o ministro das Infraestruturas."

Renzi agradeceu a generosidade e o trabalho de todos os oficiais e voluntários que têm reunido esforços para resgatar sobreviventes.

“Quero agradecer a toda a gente, como parte do governo, aos que escavaram com as suas próprias mãos, aos que lidaram com todas as comunicações, aos que mostram como o trabalho da proteção civil e dos voluntários é importante.”

E sublinhou que o país tem de estar preparado para qualquer emergência "nas próximas horas, nos próximos dias, nas próximas semanas". 

“Devemos estar preparados para qualquer emergência nas próximas horas, nos próximos dias e nas próximas semanas.”

A declaração foi partilhada na conta oficial de Matteo Renzi no Twitter.

Pelo menos 38 pessoas morreram na sequência do sismo de magnitude 6.2 na escala de Richter, segundo o último balanço da Proteção Civil italiana. 

Amatrice, Accumoli e Arquata del Tronto foram as cidades mais afetadas, com vários mortos e edifícios completamente destruídos. Há vilas que ficaram "completamente" arrasadas pelo sismo, como é o caso de Pescara del Tronto, onde morreram pelo menos dez pessoas.