Para além dos ataques iniciados na Síria contra os rebeldes do Estado Islâmico, os EUA abriram fogo na madrugada desta terça-feira também contra membros da Al-Qaeda, por estarem alegadamente a preparar um ataque terrorista nos EUA ou mesmo na Europa. A informação é avançada pela Reuters, que cita dois responsáveis norte-americanos, que falaram na condição de anonimato.

Um deles disse mesmo que os Estados Unidos acreditam que os militantes do grupo Khorasan, ligado à Al-Qaeda, estavam já praticamente a ultimar o ataque, uma vez que se «aproximavam da fase de execução» do mesmo.

O exército norte-americano levou a cabo oito ataques contra esse grupo extremista. A Casa Branca, no Twitter, confirmou a ofensiva, mas falou por alto nos motivos, dizendo apenas que quis travar a «conspiração» contra os EUA e os aliados, por parte de «experientes agentes da Al- Qaeda»:





Embora o foco dos EUA seja, atualmente, o combate contra os jihadistas do Estado Islâmico, e Obama tenha dado «ordens» para atacar e continuar o com o seu plano de destruição do EI, o alarme do terrorismo está sempre ligado. Em território sírio, as forças ligadas à Al-Qaeda estão, inevitavelmente, debaixo de olho.