É um cessar-fogo preso pelas pontas, mas, ainda assim, há uma ponta de esperança de que a paz ganhe terreno à guerra de cinco anos na Síria. Praticamente uma semana depois de americanos e russos terem acordado o cessar-fogo no país, a Rússia veio mostrar a disponibilidade para alargar o cessar-fogo, iniciado na segunda-feira, por mais 72 horas, segundo noticia a Reuters.

Apesar desta abertura, a Rússia acusa a oposição síria de ter violado o cessar-fogo 39 vezes nas últimas 24 horas.

Nas últimas horas também, as tropas russas retiraram-se de Castello Road, perto de Alepo, deixando a porta aberta para que o exército sírio regressasse.

Já um grupo de militares norte-americano não foi muito bem-vindo e foi, pelo contrário, obrigado a abandonar a cidade de al-Rai, perto da fronteira com a Turquia, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

A guerra na Síria já fez mais de 300.000 mortos desde que começou, em março de 2011, segundo um novo balanço do Observatório Sírio dos Direitos Humanos, que contabilizou quase 9.000 pessoas mortas no último mês. Das 301.781 pessoas mortas, mais de 86.000 eram civis.