Um relatório sobre a aplicação da convenção sobre armas de fragmentação, publicado esta quarta-feira, indica que o Governo sírio de Bashar al-Assad tem recorrido maciçamente a este tipo de armamento desde meados de 2012.

O documento foi publicado pela coligação de armas de fragmentação, que agrupa 350 organizações da sociedade civil em mais de 90 países, e pretende avaliar a aplicação da convenção sobre estas armas, adotada em 2008 e em vigor desde 2010.

O relatório de 2013 «pormenoriza a utilização em massa de armas de fragmentação pelo Governo sírio durante a segunda metade do ano passado e na primeira metade deste ano», de acordo com os peritos.