As forças do regime sírio executaram, pelo menos, 248 pessoas nas aldeias de Bayda e Banias, em maio, denunciou esta sexta-feira a organização Human Rights Watch (HRW).

Num relatório, a organização de defesa dos direitos humanos, com sede em Nova Iorque, informa ter compilado uma lista de nomes de 248 pessoas mortas em duas aldeias na província costeira de Tartus, nos dias 02 e 03 de maio.

Contudo, ressalva, o número é provavelmente muito mais elevado, qualificando estas mortes como «uma das mais mortíferas execuções em massa desde o início do conflito na Síria».