O Presidente da Síria decretou, nesta quinta-feira, uma amnistia para todos os rebeldes que deponham as armas, noticiou a agência oficial Sana, ao mesmo tempo que a Rússia anunciou a abertura de quatro corredores humanitários em Alepo.

"Qualquer pessoa armada (...) e procurada pela justiça (...) fica isenta da totalidade da pena se se render e depuser as armas nos três meses seguintes à data de publicação deste decreto", indica o texto de Bashar al-Assad, reproduzido pela Sana.

De acordo com o documento, fica também isenta de sanções qualquer pessoa que tenha libertado, sem contrapartidas, um refém.

As forças governamentais apelam aos residentes dos bairros nas mãos dos rebeldes para que "se juntem à reconciliação nacional e corram com os mercenários estrangeiros".

Estes bairros estão cercados pelas forças de Assad desde 17 de julho e nenhuma ajuda internacional consegue entrar nestes setores desde dia 7.

A partir de hoje, estão abertos corredores humanitários para civis e combatentes que deponham as armas, anunciou o ministro russo da Defesa.

Serguei Choigu explicou que iam ser formados, pelas forças governamentais, três corredores humanitários para civis e combatentes que entreguem as armas, e um quarto corredor para permitir "a passagem em segurança de combatentes armados".