Um grupo de clérigos sírios emitiu um decreto religioso - fatwa - onde permite que os sobreviventes da guerra síria possam comer carnes normalmente proibidas pelo Islão, como gatos, cães e burros, para evitar que morram à fome.

Para os líderes religiosos esta é a forma de evitar que os moradores de Ghouta, uma região agrária próxima de Damasco, morram à fome.

Segundo os clérigos, o fatwa é um alerta para o mundo, alertando que se a situação se continuar a deteriorar, os sobreviventes não terão outra alternativa a não ser comer os mortos.

No entanto, esta não é a única fatwa a ser emitida, uma vez que outras cidades sírias, como Homs e Aleppo, emitiram decretos semelhantes quando o conflito se agravou nesses locais.