Os Estados Unidos, a França, a Alemanha, a Itália, a Espanha e a Grã-Bretanha denunciaram, num comunicado conjunto publicado no domingo à noite, os atos “bárbaros” cometidos pelo autoproclamado grupo Estado Islâmico na Líbia.

Os países apelaram ainda aos grupos da oposição para que formem um governo de união nacional.

A localidade líbia de Syrte assistiu a confrontos violentos na semana passada, quando os habitantes recorreram às armas para tentar expulsar o grupo Estado Islâmico da cidade, controlada pelos jihadistas desde junho. Os combates causaram dezenas de mortos, incluindo pelo menos 34 pessoas que foram executadas por membros do Estado Islâmico.

Este domingo, o executivo reconhecido pela comunidade internacional, apelou aos seus vizinhos árabes para realizarem ataques aéreos  contra os grupos afiliados ao Estado Islâmico, junto à localidade de Syrte. Pediu ainda o fim do embargo a armas imposto em 2011, escreve a Associated Press .

A Liga Árabe já avançou que vai realizar, terça-feira, uma reunião de emergência sobre a Líbia.