O Programa Alimentar Mundial afirmou estar «extremamente preocupado» com fotografias das rações alimentares por si distribuídas na Síria com logotipos do grupo fundamentalista Estado Islâmico (EI).

«O PAM condena esta manipulação da ajuda alimentar, que é desesperadamente necessária na Síria. Apelamos a todas as partes do conflito para que respeitem os princípios humanitários e permitam aos trabalhadores das organizações humanitárias, incluindo os nossos parceiros, que forneçam víveres às famílias mais vulneráveis e com fome», declarou Muhannad Hadi, coordenador da resposta humanitária para a crise na Síria.

O PAM acrescentou estar ainda a verificar a autenticidade das fotografias, divulgadas em rede sociais, o local onde foram tiradas e as circunstâncias deste incidente. Esta não é a primeira vez que fotos deste género foram difundidas.

Aparentemente, estas fotos foram tiradas na localidade de Dayr Hafir, na região de Alepo (nordeste), indicou o PAM, precisando ter chegado a esta zona a 05 de agosto passado, onde entregou perto de 1.700 rações alimentares para 8.500 pessoas, durante um mês.

Em setembro, a organização soube que o EI tinha tomado os entrepostos em Dayr Hafir, pertencentes ao Crescente Vermelho sírio, responsável pela distribuição de alimentos na região.

O PAM leva ajuda alimentar desde o início do conflito, em 2011 na Síria, prestando atualmente assistência a mais de quatro milhões de pessoas, todos os meses, no país, e a 1,8 milhões de refugiados nos países vizinhos.