Enquanto Vladimir Putin diz que o plano de entrega das armas químicas por parte da Síria só é viável se os Estados Unidos desistirem da força, como conta a Reuters, Obama pede ao Congresso que adie a votação da intervenção militar no país de bashar al Assad. Tudo em suspenso, como também foi esta terça-feira à noite adiada a reunião do Conselho de Segurança da ONU.

Por seu turno, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, e o ministro dos Negócios Estrangeiros da Federação Russa, Sergei Lavrov, vão reunir-se na quinta-feira, em Genebra, para discutir a situação na Síria.

O anúncio foi feito por uma fonte norte-americana depois de uma conversação telefónica entre Kerry e Lavrov, durante a qual o chefe da diplomacia russa disse que iria transmitir durante o dia de terça-feira as modalidades do plano russo destinado a colocar sob controlo internacional as armas químicas sírias.

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, apelou hoje ao Presidente sírio, Bashar al-Assad, para que «aproveite verdadeiramente a oportunidade de procurar fazer a paz» no seu país.

Exprimindo-se imediatamente a seguir ao anúncio da vontade da Síria assinar a convenção internacional que interdita as armas químicas, Kerry disse esperar que o regime de Damasco cumpra a sua palavra de que «ajudaria [os EUA] nos próximos dias a trabalhar com a Rússia para encontrar os meios de colocar as suas armas químicas sob controlo internacional».

Por outro lado, a França manifestou-se hoje disposta a alterar a sua proposta de resolução, a apresentar ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, onde requer que a Síria abandone o seu arsenal químico ou enfrente uma ação militar.

A vontade francesa, expressa pelo porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, segue-se à rejeição pela Federação Russa do texto inicial.

«É espantoso que os russos tenham rejeitado um documento que nem sequer viram», adiantou Philippe Lalliot.

Esperava-se que franceses, britânicos e norte-americanos apresentassem uma proposta de resolução ao conselho de Segurança no fim de terça-feira, com um calendário para o regime de Bashar al-Assad entregar as suas armas químicas.

Mas a reunião do Conselho de Segurança sobre a Síria, marcada para as 20:00 (21 de Lisboa) foi adiada a pedido da Federação Russa.