A ONU afirmou que mais de um sexto da população da Síria fugiu para o estrangeiro para escapar ao conflito. O número de refugiados sírios já ultrapassa os quatro milhões.

“Esta é a maior crise humanitária da nossa geração”, afirmou António Guterres, o líder do Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados.


Em apenas 10 meses, mais de um milhão de pessoas passaram as fronteiras da Turquia e, desde o início da guerra civil, mais de sete milhões foram deslocadas na Síria.

A Turquia já alberga 1.8 milhões de sírios e é o país onde há uma maior concentração de refugiados. Espera-se que o número aumente ainda nos próximos meses, uma vez que os conflitos se estão a agravar perto da fronteira dos dois países.

O Líbano já acolheu 1.2 milhões de sírios e a Jordânia conta com 290 mil refugiados.

Para além disto, muitos milhares tentam chegar à Europa de barco. Um terço dos 137 mil migrantes que atravessaram o Mar Mediterrâneo, desde o início de 2015, provinham da Síria. 270 mil pessoas conseguiram asilo na União Europeia.

“Este é um drama humano. Esta é uma situação terrível para a região, mas que se está a tornar em algo que deve ser discutido com a Europa, para que assuma as suas responsabilidades totalmente”, declarou António Guterres.


O conflito já vitimou 230 mil sírios, nos últimos quatro anos. A ONU estima que o número de refugiados chegue aos 4.27 milhões até ao final do ano.