O ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano afirmou, esta terça-feira, que o governo de Teerão pode utilizar a sua influência para encorajar as forças estrangeiras a retirarem-se da Síria, avançou a agência Reuters.

«O Irão está preparado para apelar à retirada de todas as forças estrangeiras da Síria», disse Mohammad Javad Zarif à France 24.

«Estamos preparados para que todos com influência pressionem a retirada de todos os não-sírios do solo da Síria».

Zarif respondia a uma questão sobre se o Irão estaria disposto a usar a sua influência sobre o grupo xiita libanês Hezbollah, que apoia atualmente o presidente Bashar Al-Assad.



Rússia, EUA e Nações Unidas vão ponderar a possibilidade

A possibilidade de o Irão integrar as conversas de paz vai continuar a ser discutida pela Rússia, EUA e Nações Unidas em Genebra, avançou hoje a Reuters citando fontes da agência Itar-Tass.

«Este assunto vai continuar a ser discutido», disse à agência fonte não identificada, que confirma que o acordo ainda não foi alcançado.

Os Estados Unidos e a Rússia anunciaram em Maio planos para uma conferência para por fim à guerra na Síria, mas têm existido divergências sobre possíveis intervenientes.

Nações Unidas esperam reunião até ao final do ano

Lakhdar Brahimi, conselheiro das Nações Unidas, disse esta terça-feira que inicialmente se ia reunir com os diplomatas dos EUA e Rússia dia 25 de Novembro, para debater este assunto.

«Estávamos esperançosos que estaríamos em condições de anunciar uma data hoje, infelizmente não», disse Brahimi à BBC.

«Mas mantemos a esperança de organizar a conferência antes do final do ano».

Brahimi acrescentou que nada de «dramático» havia surgido após os encontros desta terça-feira, e que as divergências com a marcação de uma nova data já era esperada.