A organização Capacetes Brancos acusa as forças leais ao presidente Bashar al-Assad de usar gás de cloro nos mais recentes bombardeamentos de Ghouta Oriental, um enclave da oposição síria nos arredores de Damasco.

De acordo com responsáveis médicos locais, o gás de cloro terá sido utilizado domingo. Na página oficial no Twitter, os Capacetes Brancos dizem que uma criança morreu devido à inalação do gás. 

Nas últimas horas, o Governo sírio intensificou os bombardeamentos contra o enclave numa tentativa de abrir caminho às forças terrestres leais a Assad.

Pelo menos dez civis morreram esta segunda-feira nos bombardeamentos de Damasco, apesar das tréguas pedidas pelas Nações Unidas, indica o Observatório Sírio dos Direitos do Homem. Entre as dez vítimas mortais encontram-se nove membros de uma mesma família, incluindo três crianças.

Os ataques aéreos e de artilharia das forças do regime de Damasco contra Ghouta, nos arredores da capital da Síria, foram particularmente intensos, de acordo com as informações da organização não-governamental com sede em Londres.

Os 15 membros do Conselho de Segurança da ONU aprovaram no sábado, por unanimidade, uma resolução que prevê um cessar-fogo humanitário de um mês na Síria.