O Estado Islâmico libertou, esta quarta-feira, 270 dos mais de 400 reféns que fez no fim de semana, na cidade de Deir Ezzor, na Síria. A informação foi avançada pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos.
 
Entre os reféns libertados, estão mulheres, crianças menores de 14 anos e homens com idades superiores a 55 anos, adianta Rami Abdurrahman, diretor do observatório, citado pela CNN.
 
A maior parte da cidade de Deir Ezzor está sob o jugo do Estado Islâmico, à exceção de alguns bairros e de um aeroporto situado no sul, que permanecem nas mãos do regime. A atividade do Estado Islâmico intensificou-se nas últimas semanas, incluindo bombas, sequestros em massa e mortes arbitrárias. Inicialmente, temia-se que todos os 400 civis feitos reféns no fim de semana tivessem sido mortos.
 
O Estado Islâmico mantém reféns 130 pessoas, a maioria homens adultos e adolescentes, que estarão a ser interrogados. Citado pela France Presse, Rami Abdurrahman diz que se os jihadistas perceberem que não têm qualquer ligação ao regime de Bashar Al-Assad, “serão submetidos a um curso de religião e libertados”.