Militantes do Estado Islâmico executaram um menino de sete anos na última semana, em Raqqa, na Síria, porque o ouviram a “insultar a divindade” enquanto jogava futebol com os amigos.

O ato foi considerado um insulto ao Califado. O rapaz, Muaz Hassan, foi condenado à morte por “infidilidade”.

De acordo com a agência independente síria de notícias Ara News, o menino foi executado em frente a uma centena de pessoas, como é prática comum no Estado Islâmico, incluindo os pais, que desmaiaram ao assistir à morte do filho.

Ainda de acordo com a Ara News, membros do grupo terão lido um documento a explicar as razões da execução, antes de matarem a criança a tiro na avenida Naeem.

No mesmo dia, o Estado Islâmico executou ainda dois homens na cidade síria de Manbij por espionagem para a coligação liderada pelos Estados Unidos.