Um atentado suicida dirigido a uma festa de casamento, na cidade de Hassaké, no nordeste da Síria, causou a morte a pelo menos 22 pessoas e ferimentos a dezenas de outras, divulgou o Observatório Sírio dos direitos Humanos (OSDH) esta segunda-feira.

O número de vítimas mortais oscila nas diferentes agências de notícias. A AFP escreve que pelo menos 14 pessoas perderam a vida, enquanto a agência síria de notícias, SANA, refere 22 mortos.

A identidade da pessoa que se fez explodir durante uma boda de casamento também não é conhecida.

Um suicida fez-se explodir no interior de uma sala na vila de Tall Tawil, a norte de Hassaké, onde decorria o casamento de um combatente das Forças Democráticas Sírias (FDS)”, disse o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahmane, à agência noticiosa AFP.

Entre as vítimas mortais estará o noivo e um responsável político curdo, refere o OSDH. O mesmo organismo refere ainda que as perdas humanas podem aumentar porque há muitos feridos graves.

A SANA descreve o incidente como “ato terrorista” e, no que respeita ao número de vítimas, relata 30 mortos e 90 feridos.

As FDS são uma coligação entre árabes e curdos, que combate o grupo extremista auto proclamado Estado Islâmico.

O ataque ainda não foi reivindicado, apesar de a localidade ter sofrido ataques perpetuados pelo EI.