Uma mulher sul-africana mas com nacionalidade alemã, morreu no sábado, na Síria, durante um ataque do Estado Islâmico, noticia a Associated Press esta segunda-feira, citando fontes oficiais curdas.

Ivana Hoffman lutava ao lado do movimento para proteção do povo curdo, o YPG. Segundo o porta-voz do movimento, Hoffman morreu perto da cidade de Tel Tamr.

Esta alemã é a primeira mulher e o terceiro cidadão estrangeiro a lutar ao lado do movimento curdo a perder a vida, de acordo com os dados conhecidos.

A agência noticiosa dá ainda conta de que uma refinaria perto da fronteira da Síria com a Turquia foi alvo de ataques aéreos dos aliados no domingo à noite. Uma enorme bola de fogo foi vista no céu. Do ataque resultou a morte de, pelo menos, 30 pessoas, entre membros do Estado Islâmico e trabalhadores da refinaria, segundo o Observatório dos Direitos Humanos sediado no Reino Unido.