Exatamente um mês depois do sequestro que ocorreu num café, em Sidney, o Governo da Austrália declarou, esta quinta-feira, a tomada de reféns que ali aconteceu como um «ato terrorista».

O sequestro, recorde-se, terminou com a morte de dois civis e do autor do crime.

O governo adotou esta designação para classificar o sequestro, de modo a garantir a compensação, por parte das seguradoras, às vítimas e negócios afetados, segundo o chefe do Tesouro da Austrália, Joe Hockey, em declarações citadas pela ABC.

Segundo o responsável, os pedidos realizados pelos negócios afetados pelo incidente ascendem a 492.500 dólares (418.130 euros).

O sequestro ocorreu no dia 15 de dezembro, pela manhã, naquela cidade australiana. Foram horas de grande sufoco. Algumas horas depois, várias pessoas conseguiram escapar, mas outras permaneceram reféns do sequestrador barricado.