Um multimilionário britânico de origem iraniana Shoja Shojai, de 56 anos, foi preso pela polícia espanhola sob acusação de ter sequestrado diversas raparigas, a maioria aspirantes a modelo, e criado um «harém» na cidade de Marbella. De acordo com a justiça, as reféns eram impedidas de sair de casa.

Pelo menos sete crianças teriam nascido ali, fruto da relação do britânico com as modelos. A polícia também encontrou drogas e medicamentos como «Rohypnol», que induzem o sono.

De acordo com o «The Telegraph», Shoja Shojai nega as acusações e diz-se vítima de um plano ardiloso que teria como objetivo roubar bens da casa de férias que tem na Costa del Sol.

O magnata do petróleo admite que duas ex-namoradas e a esposa estavam entre as nove mulheres que a polícia tirou da casa de férias e alega que é o pai de apenas duas das sete crianças ali nascidas. Shoja Shojai rejeita as alegações de que dormiu com todas as jovens e de que as enganou e as obrigou a ficar contra a vontade.

O milionário insiste que uma das ex-amantes mentiu ao atribuir-lhe agressões e garante que a mansão de luxo em Marbella foi esvaziada em bens no valor de milhões de libras, como roupas, tapetes persas e joias, enquanto ele estava detido para interrogatório.

«A ideia de que eu tinha um harém é uma loucura», afirma Shoja Shojai. «Eu nego, completa e absolutamente, todas as acusações que são feitas contra mim. Este foi um esquema para me roubar», garante o milionário que nasceu no Irão, mas passou a maior parte da vida adulta no Reino Unido. «Felizmente eu fui libertado a tempo e conseguimos travar os camiões que levavam os bens antes de saírem de Espanha», acrescenta.

As nove mulheres, originárias de toda a Europa e da Ásia, incluindo Mongólia, Rússia, Cazaquistão e Dinamarca, estão a ser representadas por três advogados. As mulheres, maioritariamente na faixa dos 20 anos, recusam-se a falar publicamente, mas têm insistido através dos advogados que as suas histórias falam por si e que nada têm a ver com o suposto roubo de vários milhões de libras.