Tóquio está preocupada com a criação de ilhas artificiais por Pequim e pediu o fim da construção de uma dessas ilhas no Mar da China Oriental, alegando que a mesma poderia ser utilizada para fins militares, segundo o Livro Branco da Defesa japonesa.

O texto, aprovado esta terça-feira pelo gabinete do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, assegura que Tóquio confirmou a construção desta plataforma, a qual estaria a ser levada a cabo desde 2013, numa zona onde existem outros “ilhotes” artificiais destinados a campos de gás natural.

De acordo com a Lusa, o documento não precisa a localização do novo recife artificial, mas garante que está situado numa zona intermédia entre a costa chinesa e as disputadas ilhas Senkaku (Diaoyu em chinês), administradas por Tóquio, mas reclamadas por Pequim.