A Coreia do Sul cancelou uma série de reuniões e programas de intercâmbio militar previstos com o Japão depois da polémica visita, esta semana, do primeiro-ministro Shinzo Abe ao santuário de Yasukuni, revelaram fonte do Governo sul-coreano.

O Ministério da Defesa da Coreia do Sul decidiu cancelar as reuniões propostas por Tóquio em novembro para a assinatura de um memorando de entendimento militar que teria como objetivo a troca de informações entre os dois países.

A visita de Shinzo Abe ao santuário de Yasukini, onde é prestada homenagem a, entre outros, 14 criminosos de guerra, provocou críticas da Coreia do Sul e da China, países alvo da ocupação japonesa no início do século XX.