O governo de Seul quer acabar com a "cultura das horas extra" e para isso decidiu que os computadores das empresas vão passar a desligar-se automaticamente às 19:00.

A medida surge para tentar combater um dos problemas mais graves da Coreia do Sul: o excesso de trabalho. Em média, os funcionários públicos trabalham 2.739 horas por ano – o que corresponde a cerca de mil horas a mais do que os trabalhadores de outros países desenvolvidos.

No início de março, a Assembleia Legislativa sul coreana aprovou uma lei para diminuir o período máximo de trabalho de 68 horas por semana para 52 horas. Agora, surge a medida drástica.

A nova regra do governo municipal de Seul vai ser posta em prática, de forma progressiva, em três fases ao longo dos próximos três meses.

A primeira fase tem início no dia 30 de março e os computadores vão ser desligados, todas as sextas-feiras, a partir das 20:00. Em abril, os aparelhos vão passar a ser desligados a partir das 19:30, duas sextas-feiras por mês.

Na terceira fase, em maio, os computadores serão desligados todas as sextas, às 19:00.

Todos os funcionários estão sujeitos a esta regra, mas pode haver excepções em circunstâncias especiais.

No entanto, a maior parte dos funcionários públicos parece não estar de acordo com esta norma, uma vez que, de acordo com o Governo, 67,1% dos trabalhadores pediram para serem excluídos desta regra.