Uma médica norueguesa ao serviço da organização não governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras, na Serra Leoa, está infetada com o vírus Ébola e foi hoje repatriada para Oslo, onde vai receber tratamento.

Segundo fonte médica citada pela agência France Press, a médica, de 30 anos, foi retirada da Serra Leoa a bordo de um avião francês e está internada no hospital da Universidade de Oslo, para onde foi conduzida sob escolta da polícia.

Ainda não foi fornecida qualquer informação sobre o atual estado de saúde da médica, a primeira cidadã norueguesa a contrair o vírus Ébola.

«O risco que ela constitui para a contaminação de outras pessoas é mínimo», disse o chefe da Direção dos Serviços de Saúde da Noruega, Bjoern Guldvog, ao canal de televisão norueguês TV2,

De acordo com os meios de comunicação social da Noruega, a paciente contraiu o vírus em Bo, a segunda cidade da Serra Leoa.

Entretanto, na segunda-feira, as autoridades de Madrid anunciaram que uma auxiliar de enfermagem espanhola contagiada com o Ébola na capital espanhola - o primeiro caso de contágio fora de África - está desde a madrugada de hoje isolada no hospital Carlos III.

Cerca de 7.500 casos de Ébola foram detetados na região ocidental do continente africano sendo que 3.500 pessoas morreram, entre as quais 623 na Serra Leoa, de acordo com dados relativos à passada sexta-feira e divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).