A Serra Leoa descobriu 70 cadáveres e 150 novos casos de Ébola durante o recolher obrigatório de três dias para ajudar a conter a propagação do vírus, que terminou no domingo, anunciaram as autoridades.

A maioria dos seis milhões de habitantes da Serra Leoa esteve confinada às suas casas a partir de sexta-feira e durante 72 horas, enquanto cerca de 30.000 voluntários andaram de casa em casa a identificar os doentes e a informar sobre as medidas para prevenir a doença.

¿Temos um excesso de cadáveres para enterrar, mas isso é habitual desde o início da epidemia. Agora temos pelo menos 150 novos casos¿, declarou Steven Gaojia, chefe do centro de operações de emergência.