Pelo menos 15 corpos de vítimas de ébola foram abandonados pelos funcionários encarregues do seu transporte. Esta foi a forma de protesto encontrada pelos trabalhadores de uma cidade da Serra Leoa, que reclama o pagamento do subsídio de risco em atraso.

Segundo apurou a BBC, um dos corpos foi deixado no gabinete do diretor do hospital outros dois na entrada principal do hospital de Kenema, a terceira maior cidade da Serra Leoa, um dos países mais atingido pelo ébola.

O protesto acabou por se virar contra os manifestantes, já que foi criticada a forma «muito desumana» com que trataram os mortos.

Os corpos já foram recolhidos, mas os funcionários mantêm a greve.