Quatro pessoas foram sequestradas na segunda-feira num complexo hoteleiro na ilha de Samal, no sudeste das Filipnas, por um grupo armado não identificado, disseram à agência Efe fontes do exército filipino.

“Os quatro sequestrados são um norueguês, que era gerente do hotel, dois canadianos e uma filipina”, indicou o porta-voz do exército das Filipinas em Mindanao Oriental, Alberto Caber, sublinhando que o sequestro aconteceu na noite de segunda-feira.


Os agressores fugiram do local num barco motorizado, de acordo com Caber, levando consigo os reféns.

“Os homens armados tinham muito fácil acesso à zona e a fuga foi muito rápida porque o hotel, o Ocean View Resort, está situado na primeira linha da praia”, acrescentou o militar.


Segundo a BBC, os sequestrados são o norueguês Kjartan Sekkingstad, e os canadianos John Ridsdel e Robert Hall. A mulher ainda não foi identificada, sabendo-se apenas que era companheira de um dos canadianos.

A ilha de Samal é um popular destino turístico para locais e estrangeiros.

Até agora, ninguém reivindicou a ação e a polícia também não identificou os autores do sequestro.

Apesar de vários grupos rebeldes atuarem na região, os radicais islâmicos Abu Sayyaf têm estado mais ativos nos últimos anos e já sequestraram vários turistas.

Em maio de 2001, vinte pessoas foram sequestradas num hotel na ilha de Palawan e foram mantidas cativas durante um ano. Cinco reféns e 22 soldados filipinos que tentaram libertar os turistas morreram.