O funcionário malaio do supermercado de produtos judaicos da Porte de Vincennes, em Paris, que salvou mais de uma dezena de pessoas sequestradas por Amédy Coulibaly na semana passada, vai receber a nacionalidade francesa na terça-feira.

O anúncio foi feito pelo ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve esta quinta-feira, num reconhecimento pela sua «coragem».



Lassana Bathily, muçulmano, é considerado um «herói» pelos franceses. O imigrante escondeu um grupo de 15 pessoas na arca frigorífica do estabelecimento e voltou para junto do sequestrador após desligar a arca frigorífica da corrente. Esta atitude salvou a vida daquelas pessoas. Outras quatro, que estavam nos corredores da loja, foram mortas por Amédy Coulibaly antes do assalto final levado a cabo pela polícia.

A viver em França desde 2006, Lassana Bathily pediu a nacionalidade francesa em julho, segundo a AFP.