Um tribunal da Guatemala condenou, na sexta-feira, a 133 anos de prisão um antigo presidente da Câmara de Tejutla pelo sequestro de um grupo de 20 pessoas em 2010.

De acordo com o Ministério Público guatemalteco, Gomez Perez, acusado dos crimes de sequestro e abuso de autoridade, era presidente da Câmara de Tejutla, em 2010, quando participou na formação de uma "junta de segurança cidadã", que deteve ilegalmente um grupo de 20 pessoas, incluindo seis polícias.

Os sequestrados eram alegadamente suspeitos de vários atos ilícitos.

O tribunal condenou o antigo autarca a 125 anos de prisão por sequestro, a que se somam oito por privação de liberdade e abuso de autoridade.

Um outro elemento da "junta de segurança cidadã" foi também condenado a 129 anos de prisão.